Caroline Craveiro  

Nasci em dia de chuva
Caí dentro de mim  
E calço 33
Gosto de risco

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mário Emmanuel

Geógrafo sem bússola
sapato passante
descalço
pé número 40

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ângela Cristina Marques, pé 35

Uns me chamam anjo, outros pequetita. Mas a maioria nem sequer me conhece. É na curva do olhar dos outros que me perco. Ande sem rumo em lugar qualquer. Passo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

José Adélio Garbaza

Não tem medo de raio.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcelo Nada!

Entre uma viagem e outra, nasce e vive em Belo Horizonte desde 1978. Articulando ou participando de vários projetos coletivos e pessoais, sempre transita por diversas áreas: intervenção, fotografia, poesia, livro, etcs & etcs... Na época deste projeto, pesquisava sobre Imagem-Escrita-Meio, era integrante do Encaixa Couro - grupo de danças e ritmos brasileiros e estudante da Escola de Belas Artes da UFMG, onde integrava o PAD de Artes Plásticas.

atualmente?: http://marcelonada.redezero.org/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Daniel Werneck

Você não pode aprender nada sobre mim em três linhas.

Você não pode aprender nada sobre mim em três linhas.

Você não pode aprender nada sobre mim em três linhas.

e-mail: thegate@net.em.com.br
http://www.poeira.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ricardo Sousa

Caco pode ser poeira, na lente de uma câmera. 
Caco pode ser um boneco, que ganha vida nas mãos de um artista. 
Caco pode ser um pedaço de vidro, que se torna um passante nos pés de um descalço.


http://www.poeira.com.br/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Wayner Tristão (Colaborador)

xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx Censurado muitas vezes, pensava numa abordagem menos elitista da arte usando para isso materiais mais baratos e fazendo exposições na rua. Morreu de tétano em 1978 após descalçar seus pensamentos.